top of page

TEHILLAH

Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo. Salmos 33:3
Deus subiu com júbilo, o Senhor subiu ao som de trombeta. Cantai louvores a Deus, cantai louvores; cantai louvores ao nosso Rei, cantai louvores. Pois Deus é o Rei de toda a terra, cantai louvores com inteligência.
Salmos 47:5-7

CONCEITO BÍBLICO

Fundamentação

Tehillah, em hebraico, significa Adoração, Agradecimento, Louvor.

A Música é um Dom de Deus a qual desperta as sensibilidades da mente (intelecto), da alma e do espírito humano à expressar nossa gratidão, nosso louvor e adoração ao Senhor Deus. A partir do mover do Espírito de Deus (Ex.35:32 e I Cr. 13:8), podemos, com a Música, expressar nossa gratidão, nosso louvor e adoração ao Senhor, através de pleno e verdadeiro senso de santidade e lealdade.

Tehillah: a essência de seu significado é um canto, um louvor, um hino de oração. Essa é a palavra usada nos salmos que, em hebraico, é escrita "Sefer Tehillim", ou seja, livro dos cantos, dos louvores. Tehillim é o plural de Tehillah.

Alguns textos bíblicos onde esta palavra é mencionada:


Sl 4:4: pôs em minha boca um cântico novo, um louvor (tehillah) ao nosso Deus.


Sl 22:3-4: De dia eu grito, meu Deus, e não me respondes. Grito de noite, e não fazes caso de mim! E tu habitas no santuário, tu, louvor (tehillah) de Israel!

 

Sl 100:4: Entrem por suas portas dando graças, com cantos de louvor (tehillah) em seus átrios, celebrem a ele e bendigam o seu nome.

Sl. 47:1-4: Batei palmas, todos os povos; aclamai a Deus com voz de triunfo.
Porque o Senhor Altíssimo é tremendo, e Rei grande sobre toda a terra.
Ele nos subjugará os povos e as nações debaixo dos nossos pés.
Escolherá para nós a nossa herança, a glória de Jacó, a quem amou. (Selá.).

Deus subiu com júbilo, o Senhor subiu ao som de trombeta. 
Cantai louvores a Deus, cantai louvores; cantai louvores ao nosso Rei, cantai louvores.
Pois Deus é o Rei de toda a terra, cantai louvores com inteligência.

 

O PROJETO

OBJETIVOS

 

  1. O objetivo principal é incentivar a integração musical entre as igrejas evangélicas no Brasil;

  2. Desenvolver atividades musicais na igreja local e interagir com as demais igrejas, cujo intuito seja, enriquecer ainda mais a qualidade técnica dos músicos e das músicas (compor, arranjar, reler, diversificar o repertório, etc.);

  3. Criar uma dinâmica de eventos (cultos) musicais contínuos que estimule as pessoas a estudarem, conhecerem e compreenderem a música cristã;

  4. Criar uma dinâmica de eventos musicais que semeiem a interatividade entre os músicos e as igrejas evangélicas;

  5. Possibilitar a participação de grupos, bandas, côros, solistas, duos, trios, quartetos e outras diversas formações musicais/instrumentais;

  6. Incentivar as igrejas a se organizarem para promoverem eventos musicais para edificação dos membros das igrejas e também para a evangelização;

  7. Estabelecer uma metodologia que forneça modelos de processuais musicais para o culto evangélico contemporâneo;

  8. Fornecer a estrutura educacional, musical e cristã às crianças, adolescentes, jovens e adultos da igreja local e da cidade.

 

JUSTICATIVA

  1. Servir ao trabalho ministerial;

  2. Alcançar a excelência na realização;

  3. Estabelecer a conscientização bíblica e estética/estrutural da música;

  4. Produzir o enriquecimento e o desenvolvimento ESPIRITUAL;

  5. Urgência em realizar o trabalho para o Reino de Deus: Marcos 4:26-29 e Lucas 13:18-21.

 

Observamos que nos dias atuais – na 2ª década do século XXI – a organização da música no processual do culto evangélico, requer cuidados. Esta observação é obtida a partir da visão através da qual notamos que há uma formatação restrita quanto ao uso da música para o Louvor e Adoração e para a Evangelização.  O que podemos ressaltar é o fato de que a diversidade de gêneros e estilos musicais e, especialmente, de organizações e participações musicais na igreja, podem e devem ser enriquecidas, como apresentamos nos objetivos de nosso projeto.

O pleno esmero, a contínua dedicação, o sublime espírito de adoração, a consciência da vontade de Deus, são as direções que devem nortear a igreja ao cultuar o Senhor. Estas constatações advém a partir do que lemos na Palavra do Senhor Deus, nos livros de Crônicas, Esdras, Neemias, Salmos e Efésios.

 

1 Crônicas 15:27(a)

E Davi ia vestido de um manto de linho fino, como também todos os levitas que levavam a arca, e os cantores, e Quenanias, mestre dos cantores.

Esdras 3:10

Quando, pois, os edificadores lançaram os alicerces do templo do SENHOR, então, apresentaram-se os sacerdotes, já paramentados e com trombetas, e os levitas, filhos de Asafe, com saltérios, para louvarem ao SENHOR, conforme a instituição de Davi, rei de Israel.

 

Neemias 12:27

E, na dedicação dos muros de Jerusalém, buscaram os levitas de todos os seus lugares, para os trazerem, a fim de fazerem a dedicação com alegria, louvores, canto, saltérios, alaúdes e harpas.

 

Salmos 144:9

A ti, ó Deus, cantarei um cântico novo; com o saltério e instrumento de dez cordas te cantarei louvores;

 

Efésios 5:19,20

Falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor, dando graças constantemente a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo.

 

 

MÉTODOS

Para alcançar e realizar nossos objetivos, temos as seguintes diretrizes (as quais são flexíveis e, portanto, podem receber adições estruturais ou formatações em função do contexto local ou social onde será realizado o projeto).   

  1. Reunir pessoas (pastores, músicos e membros das igrejas evangélicas) para apresentação do projeto;

  2. Definir a estrutura (obs.1) para a realização dos eventos (cultos musicais e evangelísticos);

  3. Definir os meios para obter e organizar os elementos que compõe a estrutura;

  4. Definir o cronograma (datas e participantes) a realização de cada evento (obs.2).

 

Obs.1: a estrutura deverá ser a mais simples possível (em volume de equipamentos e custos) e com a máxima qualidade acessível.

Obs.2: as datas deverão ser mantidas sempre. Os participantes e locais poderão ser flexibilizados (alterados: adicionar ou alterar participantes) em, no máximo, 45 dias de antecedência.

 

CONCLUSÃO

O Conceito bíblico de TEHILLAH e a toda a Palavra do Senhor Deus, nos mostram que a música é um Dom de Deus e é utilizada para Seu Louvor, Adoração e Glorificação. 

TEHILLAH surge no coração de Deus e se torna sublime a nós, como servos e Filhos do Senhor, quando Davi, sob orientação e direção do Senhor, propõe e estabelece a Música como meio de expressão e adoração. Este proceder, através da música, permaneceu até os tempos de Jesus, da igreja primitiva e chegou até nós, no século XXI.

O Senhor Deus Criou a Música.

A Música está nos Céus Desde a Eternidade (Salmos 90:2).  

Os anjos louvam ao Criador, ao Eterno, com Música desde a eternidade e por toda a eternidade.  

Aos Homens foi concedida a capacidade de inventar e criar instrumentos musicais (Êx. 35:35).

Aos Homens também foi concedida a capacidade de inventar e tocar Música:

 

Davi tocava harpa, como costumava fazer. [I Samuel 18:10(b)]

Aos Homens foi concedido o celestial privilégio de Louvar a Deus através da Música (I Cr. 13:8). Aos remidos, salvos por Jesus, O Messias enviado de Deus, nosso Bom Pastor, será concedida a indescritível e Eterna Alegria (Is. 35:10) de estar na perfeita presença do Senhor, em eterna glória e louvor com “àquele que está assentado no trono e ao Cordeiro” (Ap. 5:13), por toda a Eternidade.

 

 

EPÍLOGO

 

Hebreus 6:10

Deus não é injusto; ele não se esquecerá do trabalho de vocês e do amor que demonstraram por ele, pois ajudaram os santos e continuam a ajudá-los.

 

1 Pedro 4:10

Cada um exerça o dom que recebeu para servir os outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas.

 

IGREJAS EVANGÉLICAS NO BRASIL
E indo elas anunciá-lo aos seus discípulos, eis que a Jesus lhes saiu ao encontro, dizendo: Eu vos saúdo.

Mateus 28:9 (a).

PROJETO TEHILLAH
bottom of page