top of page

a IGREJA, a música e a adoração

Transformação de Mundo
à Luz da Palavra de Deus

Baixe o arquivo em .PDF gratuitamente e compartilhe com a sua IGREJA

IGREJA, MÚSICA E ADORAÇÃO:

UMA BREVE ANÁLISE E CONTEXTUALIZAÇÃO GENEALÓGICA DA MÚSICA CRISTÃ


Frederick de Jesus Carrilho

"Igreja, Música e Adoração: uma breve análise e contextualização genealógica da Música Cristã", é o título do livro cujo início ocorreu em Junho de 2022. 

O livro conterá uma genealogia da Música Cristã, estabelecendo uma linha do tempo do Gênesis até os dias atuais.
A estrutura mater sobre a qual será construída a linha de pensamento eclesiológica musical, os levantamentos históricos e musicais, a organização cronológica, as origens litúrgicas, as transformações, as comutações e as interpolações da fenomenologia musical, é a Bíblia.   

Os textos começarão a ser disponibilizados, tópico a tópico, capítulo a capítulo, conforme a finalização de escrituração do Autor. Ao disponibilizar estes textos, o autor pretende que o conteúdo elaborado seja difundido e absorvido pela Igreja (aos Membros do corpo de Cristo), pelos Músicos (incluindo, naturalmente, todas as equipes interligadas ao Ministério de Louvor e Adoração) e por todas as pessoas envolvidas em servir à Obra do Reino de Deus.
O objetivo deste trabalho ministerial, de se propor a compilar, redigir, analisar e refletir sobre a Música na Igreja é uma tarefa difícil e de absoluta importância no que tange a expressão/invenção musical ser um Dom de Deus, criada e concedida ao Homem para Seu louvor. Assim, devemos orar para que o Senhor Deus nos capacite a pensar, estudar e conceber, à Luz de Sua Palavra, a sublime sabedoria para compreender qual seja o centro da vontade do Senhor. 

A música, como nos fala o Senhor Deus, através de Sua Palavra, foi criada para Seu Louvor e Glória.
A Bíblia nos apresenta esta suprema constatação. 
A Música está nos Céus desde a Eternidade. Os anjos louvam ao Criador, ao Eterno, com Música desde a eternidade e para a eternidade. A visão de João, em seu arrebatamento, a partir do que escreveu o Livro da Revelação (Apocalipse), afirma que na Eternidade do Senhor, nos Céus, a Música está presente (Apocalipse 5:13).

Preâmbulo

A Música, como nos fala o Senhor Deus, foi criada para Seu Louvor e Glória. Através de Sua Palavra e pelo mover de Seu Espírito Santo que em nós habita e entre nós está (João 14:16-18), recebemos e cremos nesta esta suprema constatação. 
A compilação a seguir contém algumas referências bíblicas de como a Música está presente ao longo da existência do Homem e, sobretudo, como é utilizada para a adoração, louvor e glória de Deus.

Êxodo 25:9
Conforme a tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo, e para modelo de todos os seus pertences, assim mesmo o fareis.

Êxodo 35:31-35
E o Espírito de Deus o encheu de sabedoria, entendimento, ciência e em todo o lavor,
E para criar invenções, para trabalhar em ouro, e em prata, e em cobre, e em lapidar de pedras para engastar, e em entalhar madeira, e para trabalhar em toda a obra esmerada.
Também lhe dispôs o coração para ensinar a outros; a ele e a Aoliabe, o filho de Aisamaque, da tribo de Dã.
Encheu-os de sabedoria do coração, para fazer toda a obra de mestre, até a mais engenhosa, e a do gravador, em azul, e em púrpura, em carmesim, e em linho fino, e do tecelão; fazendo toda a obra, e criando invenções.

Levítico 22:29
E, quando oferecerdes sacrifícios de louvores ao Senhor, o oferecereis da vossa vontade. 

I Reis 19:11,12
E Deus lhe disse: Sai para fora, e põe-te neste monte perante o Senhor. E eis que passava o Senhor, como também um grande e forte vento que fendia os montes e quebrava as penhas diante do Senhor; porém o Senhor não estava no vento; e depois do vento um terremoto; também o Senhor não estava no terremoto;
E depois do terremoto um fogo; porém também o Senhor não estava no fogo; e depois do fogo uma voz mansa e delicada.

II Reis 3:15
Ora, pois, trazei-me um músico. E sucedeu que, tocando o músico, veio sobre ele a mão do Senhor.

I Crônicas 13:8
Davi e todos os israelitas iam dançando e cantando com todo o vigor diante de Deus, ao som de harpas, liras, tamborins, címbalos e cornetas.

I Crônicas 16:9
Cantem para ele, louvem-no; contem todos os Seus atos maravilhosos.

II Crônicas 7:6
E os sacerdotes, serviam em seus ofícios; como também os levitas com os instrumentos musicais do Senhor, que o rei Davi tinha feito, para louvarem ao Senhor, porque a sua benignidade dura para sempre, quando Davi o louvava pelo ministério deles; e os sacerdotes tocavam as trombetas diante deles, e todo o Israel estava em pé.

Salmos 19
Os céus narram a glória de Deus, o firmamento proclama a obra das suas mãos (...), sem discursos e sem palavras, sem que se ouça algum som. E todavia a Sua voz expande-se por toda a Terra, até aos confins do mundo a sua Palavra.

Salmos 33:3
Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem, e com júbilo.

Salmos 40:3
Pôs um novo cântico na minha boca, um hino de louvor ao nosso Deus. Muitos verão isso e temerão, e confiarão no Senhor.

Salmos 47:5
Deus subiu com júbilo, o Senhor subiu ao som de trombeta.

Salmos 68:4
Cantai a Deus, cantai louvores ao seu nome; louvai aquele que vai montado sobre os céus, pois o seu nome é Senhor, e exultai diante dele.

Salmos 90:2
Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, mesmo de eternidade a eternidade, tu és Deus.

Isaías 42:8
"Eu sou o Senhor; esse é o meu nome! Não darei a outro a minha glória nem a imagens o meu louvor.

Ezequiel 1:24-25
Então, eis que ouvi o barulho provocado por suas asas quando voavam. Faziam lembrar o rugido do mar, parecia a voz do Todo-Poderoso. Era um ruído estrondoso, como o de um grande exército em movimento. Assim que pousavam, fechavam as asas. Ouviu-se, então, uma voz que ecoava por sobre a abóboda, que estava acima de suas cabeças, enquanto os tais seres ficavam de asas fechadas.

Amós 6:5
Que cantam ao som da viola, e inventam para si instrumentos musicais, assim como Davi;

Lucas 1:8,9
E aconteceu que, exercendo ele o sacerdócio diante de Deus, na ordem da sua turma, Segundo o costume sacerdotal, coube-lhe em sorte entrar no templo do Senhor para oferecer o incenso.

Atos 16:25
Por volta da meia-noite, Paulo e Silas estavam orando e cantando hinos a Deus; os outros presos os ouviam.

Romanos 14:11
- Porque está escrito: " ‘Por mim mesmo jurei’, diz o Senhor, ‘diante de mim todo joelho se dobrará e toda língua confessará que sou Deus’ ".

Efésios 5:19,20
Falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor, dando graças constantemente a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo.

Hebreus 13:15
Por meio de Jesus, portanto, ofereçamos continuamente a Deus um sacrifício de louvor, que é fruto de lábios que confessam o seu nome.

Colossenses 3:16
Habite ricamente em vocês a palavra de Cristo; ensinem e aconselhem-se uns aos outros com toda a sabedoria, e cantem salmos, hinos e cânticos espirituais com gratidão a Deus em seus corações.

Apocalipse 1:10
Eu fui arrebatado no Espírito no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta,

Apocalipse 5:8-9
E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.
E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue nos compraste para Deus de toda a tribo, e língua, e povo, e nação.

Apocalipse 5:12-13
E cantavam em alta voz: "Digno é o Cordeiro que foi morto de receber poder, riqueza, sabedoria, força, honra, glória e louvor! ". Depois ouvi todas as criaturas existentes no céu, na terra, debaixo da terra e no mar, e tudo o que neles há, que diziam: "Àquele que está assentado no trono e ao Cordeiro sejam o louvor, a honra, a glória e o poder, para todo o sempre!”

Apocalipse 14:2-3
Ouvi um som do céu, como o barulho de um temporal e o estrondo de um grande trovão. O som que ouvi era como de harpistas que tocavam suas harpas. Entoavam um cântico novo, diante do trono e perante os quatro seres viventes e dos anciãos; e ninguém podia aprender o cântico, a não ser os cento e quarenta e quatro mil que haviam sido comprados da terra.

Apocalipse 19:5
Então veio do trono uma voz, conclamando: "Louvem o nosso Deus, todos vocês, seus servos, vocês que o temem, tanto pequenos como grandes!"

Prefácio

 

O Senhor Deus Criou a Música.        

A Música está nos Céus Desde a Eternidade (Salmos 90:2).

Os anjos louvam ao Criador, ao Eterno, com Música desde a eternidade e por toda a eternidade.  

A visão de João - um dos 12 discípulos escolhidos por Cristo Jesus - em seu arrebatamento (Ap. 1:10), através do que registrou o Livro da Revelação (Apocalipse), testifica de maneira absoluta, que na Eternidade do Senhor, nos Céus, a Música e o Louvor são entoados – cantados e ditos a Deus (Ap. 5:12 e 14:2-3). Quando Jesus aparece a João na Ilha de Patmos (Ap.1:1), lhe revela todos os acontecimentos e detalhes que, aconteceram, que haveriam e que haverão de acontecer (Ap. 1:19). O tema do livro, assim como toda a Bíblia, converge a Jesus, é sobre Jesus, o Cristo, o Messias enviado por Deus-Pai. Não obstante, consideremos o teor do livro atemporal, diante de seu escopo, extremamente amplo no que tange tratar do passado, presente e futuro. A música, como veremos, está e estará presente em todos os eventos, do fenômeno manifesto pela ação de Deus, e também por toda a eternidade.

 

Então veio do trono uma voz, conclamando: "Louvem o nosso Deus, todos vocês, seus servos, vocês que o temem, tanto pequenos como grandes! " [Apocalipse 19:5]

 

E cantavam em alta voz: "Digno é o Cordeiro que foi morto de receber poder, riqueza, sabedoria, força, honra, glória e louvor! ". Depois ouvi todas as criaturas existentes no céu, na terra, debaixo da terra e no mar, e tudo o que neles há, que diziam: "Àquele que está assentado no trono e ao Cordeiro sejam o louvor, a honra, a glória e o poder, para todo o sempre!”  [Apocalipse 5:12-13]

 

A Bíblia sempre será o firme fundamento através do que estabeleceremos nosso pensamento e nossa consciência diante de Deus. A partir disto, obteremos a direção perfeita para tudo o que necessitarmos sobre quaisquer assuntos, de nossas vidas como Seres Humanos, criados à imagem e semelhança do Senhor. Desde o princípio o Criador proveu ao Homem capacidades de absoluta singularidade (Gn. 1:26-30). Dentre todos estes milagres, estes dons sobrenaturais os quais foram derramados através da Graça de Deus, a Música é um dos mais sublimes fenômenos da expressão humana ao Eterno, sendo ela a manifestação de louvor que podemos experimentar e também nos expressarmos a Ele. 

     Aos Homens foi concedida a capacidade de inventar e criar instrumentos musicais (Êx. 35:35). Aos Homens também foi concedida a capacidade de inventar e tocar Música:

 

Davi tocava harpa, como costumava fazer.

[I Samuel 18:10(b)]

Aos Homens foi concedido o celestial privilégio de Louvar a Deus através da Música (I Cr. 13:8). Aos remidos, salvos por Jesus, O Messias enviado de Deus, nosso Bom Pastor, será concedida a indescritível e Eterna Alegria (Is.35:10) de estar na perfeita presença do Senhor, em eterna glória e louvor com “àquele que está assentado no trono e ao Cordeiro” (Ap. 5:13), por toda a Eternidade.

       No livro escrito por João, no capítulo 17, a oração de Jesus testifica de maneira sublime a soberania do Pai (v. 1-7), Seu plano de salvação para Homem (v.8-20), Sua eternidade (v.24-26); também pede de forma intensa e humilde que Deus que conceda as condições a ele (Jesus) e também a todos os seus filhos por adoção.

        À luz advinda da Palavra do Senhor, através de seu filho unigênito (João 8:12), recebemos a Graça que nos tem sido concedida de, como filhos e filhas, honrá-Lo, obedecê-Lo e glorificá-Lo.

        No contexto bíblico de obediência e glorificação ao Senhor, entendemos, com absoluta clareza, a função da Música como instrumento de louvor e adoração a Deus. Portanto, o que devemos observar, com a máxima profundidade, é como devemos compreender a abrangência do contexto litúrgico no qual a música está inserida. Entender conceitualmente (1) a música de louvor e adoração no culto evangélico é de suprema importância. À luz da Bíblia, certificaremos, inicialmente, o processual (liturgia) apresentado e definido por Deus. O processual litúrgico, como dito à Moisés e escrito no livro de Números, Capítulo 10 e também como descrito no livro de I Crônicas, Capítulo 15 e 16 pelo ritual/culto do Tabernáculo de  Davi, fornece à Igreja singulares e permanentes direções sobre o culto e também sobre a música.

        Os anos que distam entre Moisés e Davi é de cerca de 1.700 anos. Assim, analisaremos o Tabernáculo a partir de tudo o que foi registrado biblicamente, situado em cada respectivo período. A partir desta análise podemos obter a concepção bíblica musical e ministerial, compreendendo-a com total profundidade em todos os seus detalhes. Este estudo também nos fornecerá dezenas de elementos essenciais à construção dos fundamentos sobre os quais estabeleceremos a definição da música na Bíblia. Também estudaremos minuciosamente o modo como se expressava o povo de Israel diante do Senhor, sob Seus Estatutos e Ordenanças e Promessas. Ao definir os elementos contidos nos cerimoniais e rituais (Lev. 9:16), como o povo israelita prestava culto e louvava a Deus, podemos caracterizar a ordenação de todos os elementos que norteiam a Música por eles criada.

        Neste Livro, estudaremos detalhadamente a genealogia histórica-musical e, sobretudo, os pilares que fundamentam a Música Cristã, à Luz da Palavra de Deus. O que buscamos alcançar é estabelecer uma ordenação cronológica da música na bíblia e também da música cristã (2): uma genealogia musical organizada pela liturgia e expressão musical do Homem descrita na Bíblia. O conjunto de elementos que compõem o processual de culto podemos denominar Liturgia. De igual modo, traremos à luz a cronologia histórica-musical na qual, de maneira espontânea, sincera, lúcida e racional, o Homem se expressa através da música em direção ao seu Criador, ao longo de sua existência.

(1) Mencionamos música na bíblia e música cristã sob a premissa do paralelo que existe entre as referências histórico-musicais registradas na Palavra de Deus e a música que se desenvolve e evolui através dos séculos e milênios. Ressalta-se o sublime fato de que esta autonomia criativa e inventiva, as quais são oferecidas pela Igreja como forma de adoração e louvor, é concedida por Deus ao Homem.

(2) Mencionamos música na bíblia e música cristã sob a premissa do paralelo que existe entre as referências histórico-musicais registradas na Palavra de Deus e a música que se desenvolve e evolui através dos séculos e milênios. Ressalta-se o sublime fato de que esta autonomia criativa e inventiva, as quais são oferecidas pela Igreja como forma de adoração e louvor, é concedida por Deus ao Homem.

​I- Definimos o conceito de música para louvor e adoração através da parametrização técnica e estética, as quais norteiam as diretrizes da invenção e expressão musical evangélica. Salientamos que no escopo destes parâmetros e diretrizes, estão inseridos todos os elementos presentes nas diversas culturas musicais eclesiásticas, ou seja, nas músicas entoadas nas igrejas ao longo da história, também nos últimos 2000 anos, nas diversas partes do Mundo.

II- Mencionamos música na bíblia e música cristã sob a premissa do paralelo que existe entre as referências histórico-musicais registradas na Palavra de Deus e a música que se desenvolve e evolui através dos séculos e milênios. Ressalta-se o sublime fato de que esta autonomia criativa e inventiva, as quais são oferecidas pela Igreja como forma de adoração e louvor, é concedida por Deus ao Homem.

III- Do coração deste Homem, através do Espírito Santo de Deus, provém o sublime louvor e a adoração:

“Louvarei ao SENHOR em todo o tempo; o seu louvor estará continuamente na minha boca” (Sl.34:1)

 

Pensar e refletir sobre a música de adoração, a qual verificamos acontecer e se desenvolver desde os primordiais períodos (Gn.4:21) até os dias atuais (Século XXI), é uma das mais importantes tarefas e assuntos, os quais devem ser estudados na Igreja de Cristo: “E ele é a cabeça do corpo, da igreja” (Cl. 1:18(a)) e “As igrejas de Cristo vos saúdam” (Rm. 16:16 (b)).

       No culto evangélico, podemos enumerar quais sejam, hierarquicamente, os componentes litúrgicos determinados pelos textos das Sagradas Escrituras. Dentre os Livros de Atos a Tiago, à luz da Bíblia, temos: 

  1. Anunciar a Palavra, o Evangelho de Cristo Jesus

  2. Estudar a Palavra do Senhor

  3. Pregar/Explicar a Palavra do Senhor

  4. Orar à Deus

  5. Louvar: Cantar e Tocar

 

Sobre o processual da Igreja Primitiva, estudaremos no capítulo IV. Música Cristã – Igreja Primitiva/Primordial.

        No culto à Deus na igreja contemporânea devemos entender a linguagem musical utilizada como resultado de todos os elementos, parâmetros e diretrizes ortodoxos e eclesiásticos os quais em essência fundamentam a Música Cristã.

      Sob esta premissa de suprema diversidade estética, onde a temporalidade no transcurso do processo evolutivo é realmente um fator notável, consideremos a imutável linha condutora a qual é estabelecida pelo pilar central de toda a estrutura musical, a saber: a soberania, a direção e a inspiração concedidas por Deus. Este pilar é composto pela somatória de diversos outros pilares, os quais são compostos pelos elementos contidos na expressão musical humana, sob a maravilhosa benção e determinação do Senhor Deus (Ex.25:9,40 e 26:30). 

        Sobretudo, entendemos que ao longo da existência humana, é manifesta sua natureza de autêntica semelhança ao Criador: “E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem” (Gn. 1:26 (a) e “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” (Gn.1:27). Por consegüinte, certificada é a capacidade de criar e inventar e oferecer, ao altar genuíno sacrifício de louvor (Lv. 22:29). Esta semelhança ao Criador, torna fidedigna, através do Dom de Deus concedido ao Homem, as expressões musicais de louvor e adoração, bem como do desenvolvimento de suas estruturas e inúmeras elaborações, da fusão de gêneros e estilos musicais ao longo dos séculos e milênios.

       Construir uma linha do tempo da música cristã, onde as informações e, sobretudo, as manifestações musicais estejam registradas cronologicamente, requer um profundo estudo que estabeleça, com plena veracidade, quais sejam as sublimes caraterísticas da Música Cristã. É uma tarefa realmente complexa e de profunda responsabilidade. Quando analisamos a música sob as diretrizes bíblicas, as quais definem a razão da existência da Música, estamos imersos em uma área sensível, regida por uma tênue camada sedimentada ao longo da História Bíblica e da História Musical.

       No âmbito da música cristã/evangélica, a pureza, o conhecimento, a inteligência, a sensatez e a sabedoria são de absoluta importância a compreensão e também a direção que norteia sua essência original. Assim, entendamos a urgência e a mais profunda seriedade com a qual devemos nos dedicar a esta mui trabalhosa tarefa, de larga complexidade e conteúdo, mas de divinal beleza.

        Entender e, finalmente, conceber o conceito genuíno e puro que nos levará à perfeição musical cristã, requer pleno domínio em todas as áreas relativas à criação da música e, sobretudo, da consciência de sua utilização para a oferta de louvor a Deus. O que se pretende é fornecer à Igreja de Cristo precisas informações que contribuam à clareza de compreensão da música no culto evangélico/cristão. Buscamos, a partir desta estruturação, prover e estabelecer critérios claros e objetivos, afim de obter plena lucidez e também certeza de como seja, à Luz da Palavra e da Vontade de Deus: a sublime Música de Adoração.

 

A Música é um Dom de Deus

 

O Homem, dotado de livre escolha e autonomia, sob a Soberania do Senhor (Ef. 2:8-10), possui sublime capacidade de criar, inventar e produzir obras que glorifiquem ao Criador (Sl. 40:3). Deste modo, passamos, a partir desta imensa gama de possibilidades, entender que a Música é uma invenção onde o Homem pode reunir elementos e estruturas sonoras com liberdade criadora, organizando-as com plena consciência da responsabilidade de sua função. Estas invenções musicais residem em suas mentes e corações, em suas mãos e vozes criativas, cuja divinal função é louvar e adorar a Deus.

        No Livro de Êxodo estão registrados minuciosamente todos os detalhes contidos no Tabernáculo: a apresentação e a determinação de como Deus deseja que os filhos de Israel realizem os louvores, os sacrifícios, as ofertas (por expiação/perdão dos pecados/louvor e adoração). Nos capítulos 29 e 30, com o título “O sacrifício e as cerimônias da consagração”, “O altar do incenso” e “O resgate da alma”, respectivamente, Deus estabelece o processo litúrgico (cerimonial) e espiritual a serem cumpridos. A partir da obediência e da retidão do povo (de Israel) as bênçãos e a presença do Senhor se fazem perpétuas. Abaixo, mencionamos, a partir do que lemos ao longo do Livro do Êxodo, o que as pessoas devem fazer, proceder e, finalmente obter:

 

A-) Santificação (Ex 29:1)

B-) Devoção: oferta ao Senhor (Ex.29:18, 25)

C-) Consagração (Ex. 29:32)

D-) Purificação (Ex.30:1-10)

E-) Unção (Ex. 30:26)

 

        Estudaremos estas diretrizes, determinadas por Deus, através de Moisés, na Parte II. Música Hebraica - a. Tabernáculo na Época de Moisés [2. Tradição (Estatuto Perpétuo)].

       Subseqüencialmente, inferindo a narrativa ao longo do Livro do Êxodo, claramente detectamos, a partir das anotações que Moisés realiza, através da voz Deus proferida a ele (V. Liturgia), todo o minucioso detalhamento para o modelo do tabernáculo bem como de seu processual/ritual (Ex. 25:9(a)).

          A partir da descrição contida nos Capítulos 24 a 31 e 36 a 40 obtemos as diretrizes as quais são os pilares que norteiam nosso modelo litúrgico e, por conseguinte, musical. Com o advento do ministério levítico (I Cr. 6:31-32) e a determinação de Davi (sacerdócio), por eleição do Senhor (I Cr. 15:2), observamos a inovação estabelecida no culto e adoração no Tabernáculo. Este singular fato nos fornece a concepção de que Deus permite e também Se agrada do que o povo israelita lhe ofertava. A tribo escolhida por Deus para o ministério foi a dos filhos de Levi:

 

E seus irmãos, os levitas, foram postos para todo o ministério do tabernáculo da casa de Deus.

E Arão e seus filhos ofereceram sobre o altar do holocausto e sobre o altar do incenso, por todo o serviço do lugar santíssimo, e para fazer expiação por Israel, conforme tudo quanto Moisés, servo de Deus, tinha ordenado.

(1 Crônicas 6:48-49)

 

A Bíblia, escrita e inspirada por Deus, é a verdade absoluta e eterna do que se cumpriu e do que há de se cumprir (Lucas 1:45 e Josué 23:14). À luz das Escrituras Sagradas e da sabedoria advinda do Altíssimo creiamos e obedeçamos com o coração, alma e espírito a sã doutrina, à Palavra de Deus. As Palavras contidas neste Livro (Jo. 5:39) são as que nos “trazem à memória aquilo nos dá esperança” (Lamentações de Jeremias 3:21).

          Que o Senhor nos conceda, continuamente, Sua graça inefável, sabedoria, inteligência e sublime sensibilidade para estarmos no centro da vontade de Deus. A Música sempre alcançará e transformará nossos intelectos, nossas mentes e almas e também espíritos. Estes milagres de Deus sobre nossas vidas: o enlevo e o espírito de adoração, permanecem íntegros e perfeitos no interior de cada Filho e servo, bem como no momento do culto, em direção ao Senhor como meio de louvá-Lo, engrandece-Lo e glorifica-Lo. Estes são os objetivos e funções da Música na Igreja. Que o Senhor nos conceda capacitação para o ofício de produzir/criar/inventar música e para este ministério, apresentando ao Senhor o louvor, em Sua glória, através da Música na Igreja.

Frederick de Jesus Carrilho
bottom of page